Benefícios da contação de histórias em hospitais

 17/05/2021 



Coracilda: a intenção era indicar de alguma forma “coração” no nome, mas coincidência ou não, o apelido da palhaça que ama contar histórias muito lembra o nome da famosa poetisa Cora Coralina. 

A voluntária Viviane Urquisa, que também é professora do ensino fundamental, conta ao Big Riso os motivos para investir em boas histórias nas visitas aos hospitais. 

Acompanhe o audiopost e a versão em texto desta história. 


1. Conta para a gente: como e por que você começou a contar histórias nas visitas? 

As histórias fazem parte da vida dos seres humanos, desde que os homens e as mulheres começaram a se comunicar e a interagir. Pensa bem em nossa rotina diária, tudo é envolvido em história: alguém conta uma história, a gente conta algo que aconteceu. Isso faz parte do nosso dia a dia. Sou professora e as histórias sempre tiveram e fazem parte da rotina educacional. Como eu sabia dos benefícios que uma história traz à qualquer pessoa, pensei no quão importante seria levar também aos pacientes. "Por que não levar ao hospital, se lá também é um lugar que podemos fluir na imaginação?". Isto, já imaginando o brilho nos olhinhos deles e a reação... é uma interação diferente. As histórias têm o poder de fazer viajar e voar nas asas da imaginação. 


2. Quais os benefícios da contação de história na sua opinião? 

Além do uso da criatividade, faz com que a gente se desprenda daquele momento de dor e de tristeza. É um recurso muito simples, mas com grande relevância, porque depois que você faz a contação de história você vê o que que ela causou na vida da pessoa, não é? 

A gente sabe que muitas vezes o paciente fica muito tempo internado. Sabemos também que não é fácil este tempo de internação, mas têm estes recursos que tornam o ambiente um pouco mais agradável. Uma história bem contada deixa marcas profundas em que as ouve, mudando totalmente o seu estado de espírito. 

Então às vezes você vai entrar no quarto achando que vai pegar aquele sorriso, aquela animação toda. Mas às vezes a criança está lá, tristonha. Você não vai arranjar um sorriso de princípio e aí depois que você conta aquela história... aquela história que você estudou, que você se dedicou, depois que você termina, você pode até não receber só o sorriso, mas receber aquele muito obrigado(a)!

Isso foi muito importante para mim. E isso não tem preço. 

Então a dedicação total à história, tem todo um efeito também por trás, porque, quando contamos a história, a pessoa também sente que aquilo foi de coração.